Tomada de decisão: o que não fazer

Tomar decisões é uma atividade que exercemos constantemente, muitas vezes, sem perceber. As decisões fazem parte de qualquer ação que realizamos diariamente, por isso, nesse artigo, listaremos algumas dicas sobre o que não fazer na tomada de decisão.

Ao acordar pela manhã, já somos indagados pelo nosso consciente, “levantar ou não levantar”?

Somos cercados de decisões simples, que fazem com que realizemos pequenas tarefas de forma constante.

Mas, vez ou outra, talvez até com uma certa frequência diária, nos deparamos com decisões difíceis e complexas.

Esse tipo de decisão costumar tomar uma parcela do nosso tempo, para que consigamos ser criteriosos na hora de refletir sobre ela e encontrar potenciais soluções.


Recomendamos para você: 5 dicas de como tomar decisões assertivas.


A nossa vida profissional, é cercada de momentos como esses, só que, precisamos ser rápidos e imediatos no processo de tomada de decisão.

Para atendermos o imediatismo das decisões profissionais, muitas vezes, acabamos cometendo erros cruciais, que resultam em consequências de impacto dentro da gestão de uma empresa.

Na busca de evitar que erros aconteçam durante a tomada de decisão, resolvemos selecionar o artigo de hoje, algumas dicas sobre o que não fazer na hora de decidir sobre algo. Principalmente quando falamos de decisões profissionais.

Você está pronto para dar este passo adiante e evitar os erros na hora de decidir?

Então, vamos lá!

Dicas: O que não fazer na tomada de decisão

1# Não decidir sobre nada

Não decidir sobre nada, é o mesmo que acreditar que todos os problemas se resolverão com o tempo, sem que haja a necessidade de fazer algo.

Este costuma ser um mero engano!

Quando se decide não decidir, futuramente, as consequências aparecem para nos assombrar. É necessário sempre tomar uma ação.

2# Adiar a decisão (Procrastinar)

adiar-as-decisões

Você certamente conhece alguém especialista em adiar a tomada de decisão, deixando para decidir em cima da hora, ou até mesmo, decidindo depois dos prazos.

Muitas vezes, o fato de adiar, é devido ao medo de tomar decisões equivocadas e, até mesmo, não saber o que fazer diante da situação.

Por mais incrível que pareça, essa situação acontece com uma certa frequência no dia a dia de muitas organizações.

3# Se basear em pré-conceitos

Tomar decisões baseadas em pré-conceitos, é uma das formas mais fáceis de falhar na tomada de decisão.

Os pré-conceitos são características de pessoas que minam a diversidade de experiências, afetando a forma de como enxergar o mundo.

Além de, as conclusões acabam sendo sempre precipitadas, pois, não há o interesse de avaliar todas as evidências relacionadas a situação do processo decisório.

Dessa forma, a decisão com base em pré-conceitos, acaba sendo tomada de forma irracional, implicando em consequências não tão agradáveis.

4# Democracia em excesso

O tomador de decisão democrático, é aquele que está disposto a ouvir a opinião de todas as pessoas ao seu redor e, isso implica, em ter que tomar mais do que uma decisão.

Após ouvir tantas opções de opinião e suas variedades divergentes, o agente democrático precisa avaliar as opiniões que são relevantes para si, implicando na demora de decidir sobre algo.

É necessário compreender, que consultar muitas pessoas a respeito de uma situação difícil e complexa, não é algo ruim. Mas, consultar muita gente de forma aleatória, não é algo aconselhável.


Recomendamos para você: Como tomar a melhor decisão gerencial.


5# Se basear em decisões e situações passadas

Por mais que os erros sigam um mantra de se repetirem diversas vezes, as formas de lidar com eles não será a mesma.

Há tomadores de decisões que se vangloriam de ações passadas, em que foram efetivamente excelentes em alguma ideia que solucionou um problema.

O mesmo remédio nem sempre será a solução para um novo problema.

6# Jogar a responsabilidade para terceiros

jogar-a-responsabilidade-parqa-terceiros

Esse tipo de ação é típico de tomadores de decisões que não querem manchar a sua imagem, pelo fato de temerem tomar uma decisão equivocada.

Dessa forma, o responsável pela tomada de decisão de um problema, acaba jogando a decisão para a galera, com o intuito de transferir sua total responsabilidade sobre o problema.

Nesse caso, o tomador de decisão acaba demonstrando a mínima preocupação com a empresa, o que realmente importa para ele, é não manchar sua popularidade e credibilidade diante de outras pessoas

7# Ser prudente demais

Existe um velho ditado que diz: “O seguro morreu de velho”!

Ser prudente não é algo ruim, mas, existe o momento certo para se tomar tal postura.

Quando o tomador de decisão é excessivamente prudente, as suas decisões perdem o potencial competitivo de trazer resultados eficientes para a sua empresa e que solucione os problemas.

Esperar pela ação de um concorrente pode também, não ser uma boa decisão, se o motivo, for se basear nela.

8# Achar que sabe de tudo

Confiar na sua qualidade e talento não é algo ruim ou errado, isso demonstra autoconfiança, mas, tudo que é feito de forma exagerada, pode trazer implicações.

Achar que se pode tomar todos os tipos de decisões, é um erro. Às vezes, se aconselhar com pessoas mais experientes, pode ser uma solução.

Quando os tomadores de decisão sabichões erram, a resposta padronizada é “não tive sorte dessa vez”.

9# Ter a atenção dividida

Ser alguém multitarefa, consequentemente diminui a capacidade de ser alguém organizado. Dessa forma, ao dividir sua atenção com outras tarefas do dia a dia, pode implicar diretamente em uma tomada de decisão equivocada.

Para se tomar decisões altamente efetivas, é necessário se concentrar nela, para que possa haver uma reflexão profunda sobre o problema em questão.

Desligue sua atenção dos ladrões de tempo como e-mails desnecessário, mídias sociais e etc.


Você também irá gostar de ler: Como usar a informação para a tomada de decisão.


10# Ter medo das consequências

ter-medo-das-consequencias

Toma decisões, é correr riscos constantemente. Pode parecer clichê, mas é verdade!

Na maioria das vezes, o medo das consequências, é o que faz muitos tomadores de decisão não decidirem sobre nada.

O medo faz com que as decisões sejam baseadas em todos os outros pontos que abordamos nesse artigo.

Não tenha medo de decidir, concentre-se no problema, reflita, aconselhe-se com pessoas experientes no assunto.

Conclusão

Tomar decisões faz parte da essência do ser humano, as vezes erramos, mas, quando acertamos, a sensação se torna única.

Não tenha medo de falhar, afinal, são os erros que nos ensinam a tomar decisões melhores.

Na era da tecnologia, as ferramentas de apoio a tomada de decisão são inúmeras, elas coletam dados importantes, processam informações relevantes e permitem aos tomadores de decisões apenas a análise dos fatos.

Se você acredita que existem outros erros durante o processo decisório que não foram comentados nesse artigo, deixe o seu comentário abaixo.

Caso possua o interesse de saber mais sobre as nossas soluções, entre em contato com nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *