O que são paraísos fiscais?

Você realmente sabe o que são os paraísos fiscais? Por que os detentores de grandes volumes monetários aplicam dinheiro nos paraísos fiscais?

Bom, tentaremos esclarecer qualquer tipo de mistério que cerca esse tema no artigo de hoje. Não será uma tarefa fácil, mas espero ser bem claro naquilo que quero transmitir a você, meu caro leitor.

Existe algo que eu acho importante enaltecer, é que, paraísos fiscais não são ilegais. Exatamente isso que você leu. Não há ilegalidade em aplicar dinheiro em paraísos fiscais.

Se não há ilegalidade, por que houve tamanha repercussão sobre paraísos fiscais e a corrupção?

Certamente, por 2 motivos:

  • O primeiro motivo é o questionamento da origem do dinheiro.
  • O segundo, é quem realmente é o beneficiário final desse volume monetário exuberante.

Recomendamos para você: empresas offshore, o que são?


No artigo que recomendamos para você acima, falamos acentuadamente sobre o funcionamento das empresas offshore, que no caso, são contas que operam seus processos financeiros em paraísos fiscais.

Podemos definir paraíso fiscal como uma jurisdição. Sendo mais claro, isso quer dizer que é um estado nacional ou uma região autônoma onde existe uma certa facilitação da lei para a aplicação de capital estrangeiro.

É por isso que vemos constantemente alguns políticos, empresas e investidores se beneficiando do artificio especial que os paraísos fiscais disponibilizam para a aplicação de capital estrangeiro.

Se você, assim como eu quer se aprofundar mais sobre o tema paraísos fiscais, continue lendo esse artigo e eu garanto que ao final você será recompensado com um grande entendimento do tema.

Para que servem os paraísos fiscais?

para-que-serve-os-paraisos-fiscais

Acredito que após essa introdução, ficou bem claro entender para que serve um paraíso fiscal.

Infelizmente, após tantos casos de corrupção em termos global, paraísos fiscais ficaram associados ao crime de lavagem de dinheiro.

Mas, porque?

Muitos corruptos passaram a aplicar suas recompensas fraudulentas nos paraísos fiscais, justamente pela facilidade da aplicação e da omissão concedida ao beneficiário.

Sabemos que em um país como o nosso, onde pagamos as maiores taxas bancárias, os maiores impostos e etc. ficou totalmente difícil desfrutar de um lucro líquido que permitisse aos seus beneficiários melhorar sua qualidade de vida.

Tendo essa percepção, investidores aplicam parte dos seus lucros de investimentos em paraísos fiscais.

Mas, e quando o dinheiro aplicado é sujo? Porque é permitido a sua aplicação?

As facilidades, ou melhor dizendo, as brechas existentes nas leis desses territórios possibilitam a aplicação do dinheiro sem questionar a sua origem, bem como, omitir os beneficiários do dinheiro.

Dessa forma, qualquer pessoa pode usufruir desses “benefícios”. E isso, os corruptores adoram.

A facilidade encontrada na aplicação de capitais nesses países, se tornou a porta de entrada para a lavagem de dinheiro, evasão fiscal e a corrupção.


Recomendamos para você: O caso Panamá Papers e a avaliação de imagem de entidades relacionadas.


O caso Panamá Papers, é apenas a pontinha do iceberg. Tendo em vista que apenas uma empresa, no caso a Mossack Fonseca, movimentou diversos documentos. Imagine as outras empresas que devem existir.

Por fim, o principal objetivo de ser abrir uma conta em paraísos fiscais é a baixa tributação de impostos abatidas do capital aplicado. E assim, o beneficiário possui o seu patrimônio estável e intacto.

Mapa dos paraísos fiscais: quais são os principais?

O maior problema identificado nos países e territórios que integram os paraísos fiscais, é a falta de transparência bancário exercida pelos mesmos.

Abaixo, listamos um ranking onde estão os 10 países menos transparentes quando o assunto é dinheiro:

  1. Suíça
  2. Hong Kong
  3. Estados Unidos
  4. Cingapura
  5. Ilhas Cayman
  6. Luxemburgo
  7. Líbano
  8. Alemanha
  9. Bahrein
  10. Emirados Árabes Unidos

Essa lista foi extraída desse artigo publicado pela exame.com.

Além desses 10 países que são considerados os principais, abaixo listamos outros países que fazem parte dessa extensa lista de paraísos fiscais “offshore”.

  • Anguilla
  • Belize
  • Bermudas
  • Ilhas Turcas e Caicos
  • Ilhas Virgens Britânicas
  • Domínica
  • Madeira
  • Maurícia
  • Panamá
  • São Vicente e Granadinas
  • Seychelles

Posso dizer para vocês que a lista é bem grande, acima listamos apenas aqueles que são considerados os mais importantes.

Quem se beneficia dos paraísos fiscais?

quem-se-beneficia-dos-paraisos-fiscais

Os reais beneficiários de paraísos fiscais são pessoas físicas e empresas que realizam grandes movimentações de dinheiro. Infelizmente, muitos corruptores se beneficiam de contas e empresas offshore.

Reiterando tudo o que já dissemos ao longo do artigo, quem aplica dinheiro em contas offshore tem o objetivo de manter intacto seu bem monetário.

Mesmo que, por ventura, esses países resolvessem ser mais transparentes em suas operações bancárias e financeiras, eles encontrariam algumas barreiras na identificação dos proprietários das contas, da origem do dinheiro e principalmente dos beneficiários.

Não é uma tarefa simples e isso exigiria um cuidado investigativo muito grande. Afinal, é triste relatar, mas os corruptores são maioria nesse ramo.

Bônus

Dicas para identificar parceiros e clientes em operações comerciais

Ao estabelecer parcerias e fechar negócios com clientes, certifique-se de levantar as informações necessárias para minimizar os riscos do negócio.

As nossas dicas são a realização de procedimentos que possam identificar a situação de pessoas e empresas junto aos órgãos reguladores.

Selecionamos as seguintes dicas para a sua empresa:

  • Aplicação de controles internos: Defina políticas internas, além de procedimentos operacionais que identifiquem áreas expostas a um risco maior de fraude e outras atividades ilícitas.
  • Gerenciamento de riscos: É importante saber lidar com as situações eminentes de riscos que cada setor da sua empresa possui, seja em processos falhos, conduta tendenciosa de profissionais.
  • Background Check: Faça um levantamento de informações sobre seus funcionários, de preferência, que seja durante um processo seletivo. Dessa forma, o seu processo decisório ganha uma base legal.
  • Know Your Customer: Faça um levantamento de dados sobre seus fornecedores e clientes, atualize constantemente suas informações de bases cadastrais e elimine de vez o risco de se envolver com empresas envolvidas em atividade ilegais.

Conclusão

Espero que este texto possa te ajudar a entender melhor o que são paraísos fiscais e o porquê foi um assunto tão repercutido nos últimos anos.

É claro que é uma perspectiva simples de um assunto tão complexo como esse, sabemos que existem muitas outras informações ocultadas, mas quando você ouvir falar de paraísos fiscais, saberá exatamente como argumentar sobre o tema.

Se você possui algum conhecimento sobre paraísos fiscais ou gostaria de compartilhar algo, deixe um comentário abaixo, gostaria muito de saber um pouco mais sobre o seu lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *