Como tomar a melhor decisão gerencial

Diariamente buscamos o aprimoramento de técnicas para desempenhar uma performance que traga resultados dentro das organizações que atuamos até mesmo em negócios próprios, em meio ao aglomerado de informações que são geradas diariamente, como tomar a melhor decisão gerencial?

Muitas vezes, acreditamos que a melhor forma de se tomar uma boa decisão, é seguir um glossário pré-estipulado por alguém e que incrivelmente deu certo, será mesmo?

Uma boa decisão geralmente é carregada por uma base de conhecimento sólida e por um incrível desejo de não temer as consequências, mas como não temer as consequências em um mercado onde se deve errar em uma margem de 0,001%?

Quando ocupamos cargos de confiança em empresas, as situações que lidamos diariamente são ligadas ao processo decisório e essas decisões implicam diretamente com o direcionamento da organização dentro do mercado, que é extremamente competitivo. Dessa forma, podemos compreender o receio de se cometer um erro.

O certo é que, não existe uma fórmula mágica para tomar uma melhor decisão e nem sempre ela ocorrerá como uma lâmpada mágica, conforme ocorre em filmes. O processo decisório exige muita análise e interpretação para que haja um melhor entendimento dos casos, e assim, tomar boas decisões.

Entendendo como é complexo tomar decisões gerenciais, vamos abordar algumas práticas conceituais utilizadas nas empresas que auxiliam no entendimento do processo decisório.

3 Tipos de decisões gerenciais:

successful combination

1# Decisões estratégicas:

Esse tipo de decisão geralmente é estipulado pela alta cúpula empresarial, no caso, presidência e diretoria, e tem por finalidade, escolher quais serão os objetivos e metas da organização e quais os meios que serão utilizados para alcança-los.

Essa forma de decisão, é geralmente caracterizada pelo alto grau de incertezas, pois, inicialmente é apenas uma teoria sem prática aplicada.

2# Decisões Táticas:

As decisões táticas são os primeiros passos para se colocar em prática os objetivos e metas estipuladas. São consideradas decisões gerenciais intermediárias e seus efeitos costumam ser de médio prazo, geralmente divididas por unidade departamental.

Os colaboradores possuem a missão de apropriar as estratégias em ações concretas e suas áreas em processos e sub processos de atuação.

A finalidade das decisões táticas é especificar de que modo o setor e ou departamento irá contribuir para o cumprimento dos objetivos e metas.

3# Decisões Operacionais:

Aqui é abordado os meios que de fato colocam a mão na massa e contribuem para o acontecimento do projeto na busca por atingir o objetivo estipulado. É definitivamente aquilo que chamamos de plano de ação, estando relacionado diretamente com a área técnica de execução.

Tem por processo de análise o detalhamento de todas as atividades realizadas, é considerada as atividades cotidianas de uma organização e buscam atingir a curto prazo as etapas da estratégia estipulada.

Os 3 tipos de decisões citados acima, passam diretamente por todas as partes da organização, onde cada colaborados contribui essencialmente para o cumprimento do objetivo, tornando assim, as decisões estipuladas anteriormente, em boas decisões.

Mas, não existem apenas 3 tipos de decisões gerenciais, existem diversos modelos que contribuem para a compreensão e execução do processo decisório. Listaremos abaixo alguns modelos que consideramos essenciais para se tomar a melhor decisão empresarial. 

4 Modelos de decisão que contribuem para uma melhor decisão gerencial:

4-modelos-para-tomar-a-melhor-decisao-gerencial

1# Modelo racional

O modelo de decisão racional costuma seguir por uma linha lógica de causas e efeitos, onde o cenário é analisado minunciosamente e avaliado de acordo com o estabelecimento dos objetivos.

Tomar decisões racionais é refletir e pensar, buscar uma melhor compreensão dos fatos utilizando a lógica. Podemos definir a ação como uma consequência do pensamento nesse tipo de decisão.

2# Modelo Carnegie ou da racionalidade limitada

O modelo de decisão Carnegie ou da racionalidade limitada, baseia-se no entendimento de que não é possível avaliar todos os fatores. Inviabilizando o acesso a todos os tipos de ações em vista dos altos custos e as limitações do ser humano.

A aplicação do modelo Carnegie enxerga a organização como uma coalização de interesse diferentes. Esse modelo de decidir enxerga que não existem regras objetivas e sim um processo onde as regras vão se estabelecendo de acordo com os objetivos.

Os gestores que fazem uso do modelo Carnegie para se tomar decisões, visam encontrar a melhor solução para o problema apresentado.

3# Modelo incrementalista (Lindblom e Quinn)

Modelo decisório criado por Lindblom e Quinn, no período de 1959, procurar demonstras que não existe uma única decisão correta, mas sim, diversas outras que são identificadas através de muita análise e testes, com o objetivo de se tornar a melhor decisão até conseguir alcançar o resultado que se espera.

A utilização do modelo incrementalista demonstra-se muito prático dentro da realidade que o cerca, mostrando que o racionalismo é limitado e que é necessário sempre focar no conjunto de informações essenciais para se resolver o problema.

4# Modelo desestruturado (Mintzberg)

O modelo de decisão desestruturado, foi proposto por Mintzberg. O mesmo avalia essa forma de decidir da seguinte forma: O processo decisório se torna um tanto turbulento e sofre alterações quando os gestores estão em uma busca de alternativas que se encaixe dentro do contexto do problema.

Geralmente esse modelo provem de problemas que possuem uma difícil resolução e possuem características desconhecidas, não havendo alternativas e nem resoluções, se tornando um processo extremamente dinâmico e turbulento.

Conclusão

Para se tomar as melhores decisões gerenciais, torna-se fundamental estar sempre munido de boas informações e conhecer etapas a processos que contribuem diretamente para uma melhor performance.

Com a existência de diversas teorias e modelos como os apresentados acima, os gestores podem identificar e caracterizar o problema que estão enfrentando de acordo com os que foram apresentados no decorrer do texto, dessa forma, podem obter insights que auxiliam na hora de decidir.

Na busca por uma base concreta para se decidir, a upLexis desenvolveu a plataforma upMiner, um sistema inteligente que auxilia no processo de tomada de decisão, fazendo buscas por toda a internet com o objetivo de oferecer a melhor informação aos seus usuários.

Caso tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato com o nosso time de especialistas, será um enorme prazer contribuir para o seu sucesso na busca da melhor decisão gerencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *