A importância do gerenciamento de riscos

Após um período marcado por empresas envolvidas em fraudes junto ao governo, o gerenciamento de riscos passou a ser uma atividade essencial dentro das organizações.

Identificar e mapear situações que possam comprometer a organização, se tornou primordial para empresas que desejam manter a sua imagem e reputação estável diante do mercado.

O fato mais curioso que engloba o gerenciamento de riscos, não são os processos falhos, mas, sim, o fator humano por trás de tudo isso.

Em um artigo publicado pela Exame.com, diz que, após o desenvolvimento da lei anticorrupção, as empresas passaram a receber 45% mais denúncias.

O motivo dessas denúncias? Relações interpessoais mal resolvidas.


Recomendamos para você: 5 dicas de controles internos.


Quando começa a surgir dentro das empresas aquilo que chamamos de conflitos de interesses, seja ele entre colaboradores ou a alta chefia, é hora de ligar o alerta.

E é nessa hora, que o gerenciamento de riscos se torna tão importante!

Pensando em todos esses fatores, decidimos levantar nesse artigo, a importância de se fazer o gerenciamento de riscos dentro de uma empresa.

Elencando alguns pontos que tornam essa ação bem mais efetiva, trazendo a empresa a segurança de não ser prejudicada pela exposição de eventos negativos.

Vamos nessa?

Como funciona o gerenciamento de riscos

como-funciona-ogerenciamento-de-risco

 

O gerenciamento de riscos pode ser estruturado com base em processos e ações que ajudem a identificar os fatores que possam ser prejudiciais a organização.

Mas, como podemos classificar essas ações e implantá-las na gestão da nossa empresa?

Podemos classificar os fatores prejudiciais como os 2 P’s. São eles:

  • Pessoas
  • Processos

Essa dupla, são os maiores indicadores de risco que uma empresa pode ter.

As pessoas se transformam e os processos, podem ser planejados de forma desestruturada, maximizando os eventos negativos.

O papel do gerenciamento de riscos, é mapear todos os fatores prejudiciais antes mesmo que eles aconteçam. Para isso, é necessário o desenvolvimento de ações que possam prever tais eventos.

Listamos aqui, os pontos que consideramos importantes para um gerenciamento de riscos eficiente.

  • Identificação
  • Análise qualitativa
  • Análise quantitativa
  • Planejamento de respostas
  • Monitoramento
  • Políticas de segurança
  • Governança
  • Treinamento

Agora que sabemos quais as ações que devemos tomar, vamos explorar de forma individual cada uma delas e entender como elas se encaixam no dia a dia da gestão empresarial.

# Identificação

 

A fase de identificação, é onde os riscos são explorados a fundo. O objetivo é compreender as características que fazer parte do risco como um todo e que será primordial para a próxima etapa de análise.

# Análise qualitativa

A análise qualitativa está baseada em compreender a importância dos riscos. Mas como?

Nessa etapa de análise devemos classificar os riscos em:

  • Baixo impacto
  • Médio impacto
  • Alto impacto

Após a classificação desse impacto, será necessário entender qual a probabilidade de ambos acontecerem e aí, estruturar ações de prevenção.

# Análise quantitativa

Ao realizar uma análise quantitativa, devemos considerar o impacto dos riscos na empresa de uma forma numérica.

Expressar através de estatísticas, as probabilidades que podem interferir no rendimento da organização, seja em produtividade ou em receita.

# Planejamento de respostas

O planejamento de respostas, é a ação relacionada a decisão de como lidar com cada risco de forma única e específica.

É necessário identificar grau de tolerância e aversão de riscos predominantes.

Aqui nesse ponto, os riscos devem ser tratados de acordo com suas classificações de baixo, médio e alto impacto.

# Monitoramento

 

O monitoramento é utilizado para acompanhar o comportamento dos riscos em determinado período e sua adequação diante de cada nível de exposição.

Esse processo irá avaliar o desempenho das ações de correções diante do risco identificado, considerando que o processo possa estar em funcionamento efetivo.

Considero que o monitoramento é a etapa mais importante, pois, ao mesmo tempo que ele avalia comportamento de riscos e desempenho de processos, ele identificar novos pontos que possam ser considerados negativos.

# Políticas de segurança

O processo de implantação de políticas de segurança, está ligado diretamente a segurança da informação.

Nos dias atuais, a informação exerce um papel diferencial nas estratégias organizacionais e principalmente na competitividade do mercado.

Podemos classificar alguns pontos importantes na política de segurança, são eles:

  • Construir e manter uma rede segura
  • Proteger dados
  • Implementar medidas de controle
  • Monitorar e testar redes de forma regular
  • Manter a política de segurança da informação

# Governança

A governança corporativa desenvolve um processo que podemos chamar de: Mesmo Objetivo.

Por que isso?

A governança é forma como a empresa é dirigida, monitorada e incentivada. Com isso, temos um grupo de pessoas envolvidas nesse processo, são eles:

  • Sócios
  • Acionistas
  • Diretoria

Por isso, é essencial que todos estejam de acordos com os processos de gerenciamento de riscos, monitoria e políticas.


Recomendamos para você: O que é governança corporativa.


# Treinamento

 

Você pode ter todos os processos em mente, mas, se não tiver uma equipe altamente treinada e capacitada para executar o projeto, de nada irá a adiantar.

É por isso que o gerenciamento de risco é tão importante, pois, as pessoas que atuam na execução, precisam ter o conhecimento que estão lidando com situações e informações delicadas.

Treine equipes para desenvolverem processos de identificação de riscos e treine os colaboradores, para que assim, eles entendam que a função do gerenciamento de risco é de fato investigar situações que possam causar danos negativos a empresa.

Conclusão

A importância do gerenciamento de riscos deve-se aos fatores que podem influenciar o ambiente no qual a empresa está inserida.

Os fatores podem ser conflitos de interesse, fraude, corrupção e entre outros.

As leis que surgiram no decorrer dos tempos, como a lei anticorrupção, trouxeram um reboliço dentro das empresas.

Dessa forma, as empresas precisam adaptar os seus processos internos e administrar de forma efetiva os riscos, para que não sejam punidas.

O objetivo central do gerenciamento de riscos é desenvolver opções e determinar ações que sirvam para ampliar o desenvolvimento organizacional e reduzir ameaças que afetem a empresa.

Caso tenha ficado alguma dúvida em relação ao gerenciamento de riscos, deixe o seu comentário abaixo e será um prazer ouvir sua opinião e estabelecer um diálogo produtivo.

No mais, agradecemos a sua leitura.

3 Comentários

    1. maria de fatima fernandes bezerra rodrigues

      Olá boa tarde!
      Estava lendo seu artigo e identifiquei uma falha na escrita.Gosto de leitura e de contribuir com melhorias 🙂 Seria manter a empresa “estável” diante do mercado, e não instável
      ( seu segundo parágrafo está : Identificar e mapear situações que possam comprometer a organização, se tornou primordial para empresas que desejam manter a sua imagem e reputação instável diante do mercado)
      Att,
      Fátima

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *