3 razões para você começar a fazer coleta de dados

Realizar ações e projetos empresariais que atendam as demandas dos clientes, solucionando os seus problemas, requer muito estudo e pesquisa. Você só conseguirá bons resultados se seu primeiro passo for a coleta de dados.

Todo seu projeto será direcionado pelo objetivo da pesquisa, seguido pela coleta de dados. Esses dois pontos serão a base para a tomada de decisão (que é a última etapa do processo decisório).

Se você chegou até este artigo é porque reconhece o valor de coletar os dados e como eles contribuem positivamente para sua empresa.

Quer aprender mais sobre coleta de dados? Vamos te ensinar aqui tudo o que você precisa saber e te dar 3 razões para você começar imediatamente a fazer a coleta de dados na sua empresa.

Coleta de dados: obtendo informações

 

Determinado o objetivo da pesquisa, você precisa escolher um dos métodos de coletar dados para que esses dados se transformem em informação.

Uma forma simplificada é adotar a utilização de documentos para obter dados e observação de comportamentos, seja pelo método oral (entrevista) ou escrito (questionário).

Todos os documentos oficiais e escritos são o meio mais utilizado para estudar o funcionamento de uma empresa. Não só documentos escritos, mas gráficos, gravações, entre outras formas de registro documental.

Observação como método de coleta de dados

Você sabe que a observação é um método eficiente de coleta de dados, no entanto, existem vários tipos de observação. Quando você definir sua pesquisa, precisa especificar de qual tipo você se refere:

A observação sistemática colhe dados mais assertivos, pois pesquisador e pesquisado não se relacionam. Os dados são objetivo e têm uma representação fiel ao objeto em análise. Em suma, o pesquisador de campo analisa todos os sujeitos com o mesmo olhar. Os contextos natural, quase experimental e experimental integram a observação sistemática.

Quando o pesquisador está menos distante dos indivíduos pesquisados, você pode identificar com a observação em entrevista. Durante a entrevista o entrevistador faz a análise comportamental, de acordo com os interesses da pesquisa.

Na análise comportamental você pode avaliar os aspectos que mais se relacionam com seu objetivo. Como, por exemplo, aparência física do pesquisado, tom de voz, expressões faciais e corporais, postura, maneira de como responde as questões, etc.

A observação participante se dá quando o pesquisador interage no meio em que o pesquisado se encontra, mas sem que aja distinção entre o observador e o observado. O pesquisador vai a campo com os pontos, os quais deve analisar, e relata os fatos depois de concluir sua observação no local.

Outra variação desse método para você aplicar é a observação livre. Não existem critérios pré-definidos e o objetivo é que os sujeitos não saibam que estão sendo observados. Em função da ética para com os pesquisados, essa variação da observação é menos utilizada.

Entrevista e questionário como método de coleta de dados

 

Quando a informação que você precisa não pode ser observada, ou não há documentos que possam servir de base de dados para trazer informações relevantes, utilize da entrevista como método de coleta de dados.

Nesse caso, de obter informações orais, entrevistas e questionários são os mais indicados.Um exemplo de indivíduos que não se adequam aos métodos escritos são os analfabetos, deficientes e crianças.

Com métodos orais você consegue que os pesquisados respondam mais e, consequentemente, é possível colher mais informações do que em um questionário escrito.

Por outro lado, o pesquisador deve ser instruído a não exercer nenhuma influência sob a resposta do pesquisado.

Os questionários escritos são facilitadores e, em certa medida, podem agilizar o processo da pesquisa, pois os questionários podem ser autoadministráveis (quando o pesquisado consegue responder sozinho as perguntas).

Assim como a observação, a entrevista também apresenta variações quanto ao seu método. Vamos te mostrar os dois tipos mais comuns de entrevista:

As entrevistas livres são menos estruturadas e sem parâmetros preestabelecidos. Quando o objetivo de pesquisa é amplo, chamamos de entrevista de exploração, na qual você levantará todas as variáveis possíveis que possam ser fundamentais para a solução do problema em análise.

A entrevista com um informante (ainda dentro das entrevistas livres) é o mais adequado para a entrevista é feita com uma pessoa para dar informações como representante de um grupo.

Além das entrevistas livres, existem aquelas onde os dados a serem coletados são previamente estipulados, conhecidas como entrevistas dirigidas que se subdividem em duas partes:

Na entrevista semi-estruturada há a definição do objetos a serem analisados, todavia, as perguntas não são exatamente definidas e o pesquisador pode acrescentar novas questões para aprofundar na qualidade das respostas.

Quando as perguntas já são definidas e o pesquisador apenas faz a leitura dessas perguntas (sem poder criar novas questões), se trata da entrevista dirigida com questionário.

Coleta de dados: analisando as informações

 

A ideia de analisar as informações consiste em ordenar os dados para que eles tenham um sentido e sirvam de resposta para o problema.

Somando os dados, sistematizando os métodos e organizando esses dados, sustentarão a linha de raciocínio para você ter base na sua tomada de decisão.

O processo de análise começa no acompanhamento da coleta de dados, passando pela filtragem dos dados, deixando apenas os que possuem valor real para solucionar o problema. Posteriormente, esses dados agrupados geram informações pertinentes.

A análise de conteúdo pode ser quantitativa ou qualitativa, contando com a classificação de conceitos, codificações e os procedimentos da pesquisa.

Uma das principais técnicas de análise é a análise por categoria, a qual segue os seguintes passos: codificação do texto, classificação de grupos, análise por tema, comparação com outros métodos, visão dos objetivos e conhecimento teórico.

A análise descritiva expõe características do fenômeno em questão e investiga a relação entre variáveis, bem como o comportamento dessa variável no ambiente analisado.

A análise das informações coletadas em documentos escritos é conhecida como análise documental. Esse método visa identificar as condições econômicas e sociais do objeto da pesquisa. De um modo geral, a intenção é estabelecer uma linha de raciocínio acerca dos interesses do pesquisador.

Coleta de dados: vantagens e desvantagens dos métodos

Os métodos que você viu acima não são todas as formas e variações para fazer coleta de dados. Se for pesquisar a fundo, encontrará uma séria de meios de obter informações, mas o foco é você entender os motivos pelos quais você precisa da coleta de dados.

Sendo assim, cada técnica e análise de dados possui seus pontos fortes e pontos fracos. Essa definição te ajudará a escolher o método que vai de encontro a seu objetivo na pesquisa.

A vantagem da entrevista é a flexibilidade na hora de aplicar o roteiro ou questionário, podendo implementá-­los durante a pesquisa. No entanto, requer mais tempo e dedicação para realizar a pesquisa, implicando na demora de produzir dos resultados.

As pesquisas via internet (grande parte das vezes são os questionários) são bem rápidas e considerado o método mais barato. Em contra partida, a equipe de pesquisa precisa de recursos para gerenciar uma plataforma e salvar todos os dados dos formulários. Outra desvantagem é o tempo do pesquisado, pois não é possível mensurar quanto tempo ele gastou para responder as questões e se preencheu com dados verdadeiros.

Se você achou muitas desvantagens nas pesquisas pela internet, faça suas pesquisas por telefone. Apesar de serem um pouco cansativas, a interação direta com o entrevistado permite uma análise do entrevistador no momento da pesquisa.

Você pode usar mais de um método em uma mesma pesquisa, uma vez que eles são complementares e distintos. Quanto mais técnica for aplicada, mais próximo do resultado esperado.

3 razões para você fazer a coleta de dados

 

Os dados são a fonte para a resolução dos problemas e o ponto de partida para aproveitar as oportunidades. Além disso, separamos três razões para você fazer a coleta de dados:

1. Clareza das informações: Com a internet e o tsunami de dados que ela nos proporciona, podemos buscar por mais dados e (teoricamente) aprofundar nosso conhecimento. Entretanto, um dado é apenas um dado quando ele não é analisado. Ou seja, a coleta de dados é fundamental para selecionar os dados relevantes para o seu projeto e, sequencialmente, serem organizados. Essa organização dos dados que tem a capacidade de agregar valor, chamamos de informação. A dica é você não se empolgar em conseguir a maior quantidade de dados, mas manter o foco na qualidade dos resultados que essas informações podem te trazer. Tenha em mente que essas informações serão cruciais para o processo decisório.

2. Redução de riscos e aproveitamento de oportunidades. Quando suas informações são claras e você monitora os dados, sua ação será antecipada em um momento de risco. Desse modo, antes que o possível problema se levante, você já está tomando decisões para remediá-­lo.

3. Efetividade na tomada de decisão empresarial. O processo decisório tem inicio na coleta de dados, até que esses dados se transformem em conhecimento. É o processo como um todo que será sua base para tomar a decisão e garantirá a assertividade.

A qualidade dos dados para a tomada de decisão

 

Muitas empresas terceirizam o serviço de coleta de dados para conseguirem uma filtragem de dados mais interessante para eles. Considerando também que pode ser um processo demorado para realizar dentro da empresa e junto com outras demandas. De nada adianta contratar uma plataforma que realize os serviços se os dados não forem de qualidade.

Os dados já coletados e organizados apresentam a situação real da organização e são usados pelos gestores empresariais como informações que servem de suporte para a tomada de decisão.

A exigência pela qualidade dos dados se refere a integridade da sua empresa. Você não pode tomar decisões com seus conhecimentos particulares, quando se envolvem várias pessoas (mesmo que você seja dono do seu negócio). Decisões erradas podem causar impacto negativo interferindo na queda do seus lucros. A composição de dados que tem qualidade resultam em informações consistentes.

Outro fator que justifica a qualidade é os dados também serem usados no planejamento estratégico empresarial. Treine sua equipe para que tenham consciência da importância da qualidade dos dados a fim de estarem aptos a realizarem funções de avaliação e correção de informações. Especificamente, o pessoal de tecnologia da informação deve se atentar para essa questão.

O objetivo principal em relação ao processo de tomada de decisão é eliminar as incertezas. Essa prática pode ser evidenciada pelo monitoramento de dados e verificação do grau de qualidade que cada dado representa. Assim, os gestores terão mais precisão nas informações como apoio no processo decisório.

Uma boa opção para sua empresa é direcionar um profissional a se responsabilizar pela melhoria dos processos internos para a organização de dados. Assim, o funcionário seria treinado para analisar e corrigir os dados e ser capaz de identificar o grau de importância de um dado para determinado problema, agilizando a tomada de decisão dos diretores.

A consequência de aderir a essa ideia é a melhoria no atendimento das demandas de tecnologia da informação. Em certa medida, o profissional capacitado para selecionar e organizar esses dados faz uma espécie de curadoria da informação.

O mercado empresarial é muito competitivo e a todo tempo as empresas buscam se consolidar para atraírem mais clientes. Você deve estar pensando: “mas qual a relação dos dados com o mercado empresarial?”. Da seguinte forma:

Os dados selecionados que apresentam qualidade serão organizados, e juntos, compõem as informações que sua você tem. Essa curadoria da informação feita de forma sistemática possibilita que sua empresa identifique os riscos (e oportunidades) antes que eles aconteçam. Sendo assim, ao invés de gerenciar crises, você tem a capacidade de remediar problemas com a tomada de decisão direcionada para soluções assertivas.

É preciso ter qualidade dos dados para você ter sempre em mente informações específicas que solucionam problemas que se levantem contra sua empresa. Consulte uma plataforma que atenda suas expectativas.

Coletar dados não é uma tarefa simples, requer conhecimento técnico para não interferir negativamente na tomada de decisão empresarial.

Quer tomar decisões que tragam bons resultados? Conserve com a gente! Podemos te ajudar a coletar a analisar os dados.

Confira também, nosso e-book sobre como fazer uma coleta de dados eficiente e otimize ainda mais as suas consultas. Clique na imagem e baixe gratuitamente.

banner-ebook-coleta-de-dados-eficiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *